Skip to main content
News & stories

Our news

January 14, 2021

Mais de 2.400 comunitários atendidos durante a pandemia

Projetos e ações sociais foram readaptados na Casa Imerys e nas minas do Hub Capim no Brasil, para manter o compartilhamento de conhecimentos com as comunidades vizinhas

9 people show their certificates.

Mais de 2.400 pessoas foram atendidas pelos projetos e ações sociais da Imerys nas comunidades vizinhas do município paraense de Barcarena, por meio da Casa Imerys, e nas minas de extração de caulim, em Ipixuna do Pará, ao longo de 2020. Para manter as iniciativas durante a pandemia da Covid-19, priorizando a saúde preventiva, a equipe de Relações com a Comunidade precisou reinventar a estrutura e metodologia das atividades desenvolvidas. Desta forma, conseguiu garantir um alto grau de envolvimento dos comunitários.

Entre os principais desafios para a equipe estavam: mapear a estrutura de internet de todas as comunidades atendidas em Barcarena e a dinâmica de acesso dos comunitários. Ao identificar que o celular era o equipamento mais recorrente para as pessoas estarem conectadas, os projetos e ações foram desenhadas para este novo modelo. “Desenvolvemos uma metodologia rápida para as videoaulas não serem muito longas, viabilizando maior acesso aos participantes pelo celular. Também tivemos o grande desafio de levar esse formato para a comunidade, que não estava familiarizada com atividades online”, relata Flávia Souza, Analista de Relações com a Comunidade.
 

Diálogo online

Outra frente que precisou ser adaptada foi a interface de informações com as comunidades, que precisou migrar dos contatos presenciais para uma ferramenta que a empresa já utilizava e foi fortalecida durante a pandemia. “Para a gente manter as informações e o contato com as comunidades sem estarmos juntos presencialmente usamos o “Fala Comunidade”. Fortalecemos essa ferramenta através de ligações e videochamadas, para continuarmos o relacionamento com as lideranças comunitárias”, assinala Flávia.

Todos os projetos da Casa Imerys de Inclusão Digital, Reforço Escolar, Empreendedorismo Sustentável e o projeto de confecção de máscaras de tecido, foram mantidos com videoaulas online do período de março até o final de julho. A partir de agosto até o mês de novembro, seguindo o decreto municipal de Barcarena e as orientações de segurança preventiva do Ministério da Saúde, os projetos foram desenvolvidos de forma mista, iniciando com o conteúdo de maneira remota e completando com a parte prática presencialmente com um número reduzido de pessoas. “No total, certificamos 2.470 pessoas, sendo 1.500 de comunidades atendidas de Vila do Conde, Bairro Industrial, Canaã, Ilha São João, Curuperé e Acuí, em Barcarena; 970 nas minas. Os resultados foram realizados de acordo com o planejado e esperado, pois tivemos um número mínimo de evasão. Foi muito favorável para um ambiente onde as pessoas ainda não tinham vivenciado ferramentas de capacitação online”, comenta.

Para a enfermeira Marcilene Ribeiro, 30, de Vila do Conde, mãe do Osmar Pietro, 9 anos, as aulas de Reforço Escolar e de Informática, viabilizadas pela Casa Imerys, contribuíram para o estudante manter seus conhecimentos atualizados. “Este projeto foi uma oportunidade para ele não ficar sem atividade, já que a escola precisou ficar fechada durante a pandemia. Foi bem proveitoso, tranquilo, seguro e contribuiu para a aprendizagem dele”, relata Marcilene.

Participante do curso Operador de Computador e Informática para Negócios, Milena Alves, 23, de Vila do Conde, comenta o quanto foram importantes os aprendizados do curso. “Tive o privilégio de fazer um curso gratuito e obter aprendizado e conhecimento. As aulas online permitiram a flexibilidade do tempo e espaço, pois podemos assistir às aulas de qualquer lugar e a qualquer momento”, assinala Alves.
 

Os projetos mantidos nas minas de extração de caulim

Nas sete comunidades vizinhas à mina da Imerys, no município de Ipixuna do Pará, além de reformular a forma de fazer o diálogo com a comunidade, foi preciso adiar o início dos projetos.

“Os projetos sociais presenciais na mina retornaram somente em agosto com encontros quinzenais, número reduzido de participantes e seguindo os protocolos preventivos das autoridades de saúde. Inovamos também com a implantação do projeto de voluntariado com os colaboradores da Imerys nas minas e também entregamos máscaras para as comunidades, entre outras ações”, comenta Cristina Mascarenhas, Assistente de Projetos Sociais.

Atender às comunidades Santa Maria do Pauporanga, Fortaleza e Distrito de Canaã, vizinhas da mina, também foi desafiador pela dificuldade de manter contato com as comunidades ribeirinhas e que vivem em áreas isoladas. Apesar disso, foram mantidos o projeto Horta Escolar e o projeto de Educação Ambiental, sendo que este último estendeu as informações também para a saúde protetiva no período da pandemia. “Foram executadas ações voluntárias com funcionários Imerys, que levaram informações preventivas para contribuir com a saúde protetiva na pandemia, distribuímos máscaras para os comunitários e fizemos medição de temperatura”, comenta Brenda Santos, Assistente de Projetos Sociais da Imerys.

Share this news:

Close

You are interested in:

Informations about yourself:
* Required fields